Regras da Comida: um manual de Michael Pollan para a mesa e a vida

3 de março de 2020 Blogue, ,


Cozinhar é um ato político. 

A frase feita, mais que uma bravata de programa de marmitas do GNT, é um complexo enunciado que diz muito sobre culinária, vida, saúde, economia, sociedade e, por conseguinte, política. 

Um dos mais entusiasmados e influentes “profetas” dessa visão de mundo, o jornalista americano Michael Pollan, colocou alguns dos conceitos que sistematizam esse ideário no livro Regras da Comida: Um Manual da Sabedoria Alimentar (editado no Brasil pela Intrínseca). 

Pollan se dedicou a abordar essas questões de forma mais exaustiva em outros livros, dos quais o meu favorito é “Cozinhar”, enquanto Regras da Comida é mais na linha “manual de bolso”, uma leitura leve e instrutiva na forma de pílulas de sabedoria popular. 

São 64 regras, algumas com uma explicação um pouco mais demorada, outras autoevidentes, que se baseiam nos pressupostos apresentados por Pollan na introdução e dos quais o principal é a distinção comida de verdade versus substâncias com mera aparência de comida

A comida de verdade, advoga Pollan, é a base para uma vida mais saudável e mais saborosa – e o preparo da comida pelo próprio comensal é uma arma política emancipatória. Um mantra muito útil que pode ser extraído do manual é: leia, sempre, os rótulos dos produtos antes de colocar no carrinho do supermercado. A análise dos ingredientes, na ordem em que são descritos no rótulo, é fundamental, no cânone pollaniano, para saber se algo é comida de verdade ou uma imitação bioquímica.

Bem, vamos às 64 regras da comida de Pollan, que colarei aqui sem maiores explicações. Para decifrar o código, sugiro a prazerosa e elucidativa leitura do livro. 

1 Coma comida. 

2 Não coma nada que sua avó não reconheceria como comida.

3 Evite produtos alimentares que contenham ingredientes que nenhum ser humano comum teria na despensa.

4 Evite produtos alimentícios que contenham xarope de milho com alto teor de frutose.

5 Evite alimentos que contenham alguma forma de açúcar (ou adoçante) entre os três primeiros ingredientes.

6 Evite produtos alimentícios que contenham mais de cinco ingredientes.

7 Evite produtos alimentícios que contenham ingredientes que um aluno do terceiro ano não consiga pronunciar.

8 Evite produtos alimentícios com propaganda de propriedades saudáveis. 

9 Evite produtos alimentícios que tenham no nome os termos “light”, “baixo teor de gordura” ou “sem gordura”.

10 Evite alimentos que estejam fingindo ser o que não são. 

11 Evite alimentos que você vê anunciados na televisão.

12 Compre nos corredores ao longo das paredes do supermercado e fique longe do centro. 

13 Só coma alimentos que acabarão apodrecendo.

14 Coma alimentos feitos com ingredientes que você pode imaginar crus ou crescendo na natureza.

15 Fuja do supermercado sempre que puder.

16 Compre seus lanches na feira. 

17 Só coma alimentos que tenham sido preparados por humanos.

18 Não ingira alimentos preparados em locais nos quais se exige que todo mundo use touca cirúrgica. 

19 Se veio de um vegetal, coma; se foi fabricado, não coma. 

20 Não é comida se chegou pela janela de seu carro.

21 Não é comida se tem o mesmo nome em várias línguas (pense em Big Mac, Cheetos ou Pringles).

22 Coma principalmente vegetais. Sobretudo folhas.

23 Trate a carne como um ingrediente extra ou um alimento para ocasiões especiais.

24 “Comer o que fica de pé [cogumelos e vegetais] é melhor que comer o que fica em pé em duas patas [aves], que é melhor que comer o que fica em pé em quatro patas [vacas, porcos e outros mamíferos].”

25 Faça refeições coloridas.

26 Beba a água do espinafre.

27 Coma animais que se alimentaram bem.

28 Se tiver espaço, compre um freezer. 

29 Coma como um onívoro.

30 Coma alimentos cultivados em solo saudável.

31 Coma alimentos silvestres quando puder.

32 Não se esqueça dos peixinhos oleosos.

33 Coma alguns alimentos que foram pré-digeridos por bactérias ou fungos.

34 Adoce e salgue sua comida você medo.

35 Coma os alimentos doces como você os encontra na natureza.

36 Não coma cereais matinais que alterem a cor do leite.

37 “Quanto mais branco o pão, mais depressa você vai para o caixão”.

38 Dê preferência aos tipos de óleo e de grãos tradicionalmente moídos em mós.

39 Coma todas as besteiras que quiser, desde que você mesmo as cozinhe.

40 Seja o tipo de pessoa que toma suplementos – depois retire os suplementos.

41 Coma mais como os japoneses. Ou os franceses. Ou os italianos. Ou os gregos.

42 Olhe com ceticismo para os alimentos não tradicionais. 

43 Tome um copo de vinho durante o jantar.

44 Pague mais, coma menos. 

45 … Coma menos. 

46 Pare de comer antes de se sentir satisfeito.

47 Coma quando tiver fome, não quando estiver entediado.

48 Consulte sua barriga.

49 Coma devagar.

50 “O banquete está na primeira garfada”

51 Passe curtindo sua refeição o mesmo tempo que o investido em prepará-la.

52 Compre pratos e copos menores.

53 Sirva-se de uma boa porção e não repita.

54 “Coma como um rei no café da manhã, como um príncipe no almoço e como um mendigo no jantar”

55 Coma refeições.

56 Restrinja seus lanches a alimentos vegetais não processados.

57 Não compre seu combustível no mesmo lugar em que compra o do seu carro.

58 Só coma à mesa.

59 Tente não comer sozinho.

60 Trate as guloseimas como guloseimas.

61 Deixe alguma coisa no prato.

62 Plante uma horta, se tiver espaço, e uma jardineira na janela, se não tiver.

63 Cozinhe.

64 Quebre as regras de vez em quando.